DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA HISTÓRICA E RECENTE DE QUEIXADAS (Tayassu pecari) E CATETOS (Pecari tajacu) NA MATA ATLÂNTICA BRASILEIRA

Nome: Fabiana de Mendonça Cruz
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 08/08/2017
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Sérgio Lucena Mendes Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Andressa Gatti Suplente Externo
MARIA CECILIA MARTINS KIERULFF Examinador Interno
Poliana Mendes Examinador Externo
Roberta Paresque Suplente Interno
Sérgio Lucena Mendes Orientador

Resumo: Queixadas (Tayassu pecari) e catetos (Pecari tajacu) são espécies de porcos-do-mato simpátricas na Mata Atlântica e possuem grande importância ecológica, pois são predadores e dispersores de sementes e atuam como engenheiros de ecossistemas. Ambas espécies tem sofrido com severas reduções do seu habitat e pressões de caça ao longo da sua distribuição geográfica, situação considerada preocupante principalmente para o queixada, que uma espécie bastante sensível à alteração ambiental. Enquanto o cateto é uma espécie aparentemente resistente a alterações antrópicas e consegue sobreviver em ambientes alterados e intensamente fragmentados, o queixada necessita de grandes áreas com uma diversidade de habitats contínuos para sua sobrevivência, o que o torna mais sensível à degradação ambiental e muito suscetível a extinções locais. O estudo em escala regional permite examinar como certas espécies respondem às variáveis locais e os principais fatores que ameaçam sua conservação, já que em escalas globais a heterogeneidade das variáveis pode mascarar essas ameaças. Por este motivo, este estudo teve como o propósito descrever a ocorrência histórica e o padrão de ocorrência atual das duas espécies de porcos-do-mato ao longo da Mata Atlântica e estimar a probabilidade de extinção local de ambas espécies nesse bioma. Procurou-se responder diversas questões relativas a extinções regionais dessas espécies, como se as áreas protegidas e os remanescentes florestais permitem uma menor probabilidade de ocupação e extinção para essas espécies; se os catetos e queixadas podem persistir em áreas com altas densidades de população humana; se o intervalo de anos entre os registros históricos e os registros atuais influenciam na probabilidade de ocupação e extinção dor porcos; e se a probabilidade de extinção dessas espécies varia com a presença do javali. Através da modelagem de ocupação ou occupancy, um total de 460 registros de queixadas (188 históricos e 272 atuais) e 506 de catetos (268 históricos e 238 atuais) foram levantados e integrados para estimar a ocupação e a extinção local das espécies, ao longo da Mata Atlântica, que foi dividida em 592 células ou sítios com tamanho médio de 2856 km². Os registros históricos foram utilizados para obter um conjunto de locais em que cada espécie era conhecida por estar presente em algum momento na Mata Atlântica. Queixadas estiveram presentes em 38,53% dos sítios analisados, enquanto catetos 79,12% das células consideradas. Tayassu pecari possui uma estimativa de probabilidade de extinção para Mata Atlântica de 46,19%, sendo que o tempo decorrido desde o registro da ocorrência histórica foi um importante determinante da probabilidade de extinção. Para T. pecari, quatro modelos responderam bem às análises de ocupação (&#916;AIC<2), que foi melhor descrita pelo tamanho de área protegida (Unidades de Conservação – Ucs) e o intervalo de tempo entre os registros históricos e atuais, enquanto que para P. tajacu a densidade populacional humana também foi um fator relevante para sua ocupação, além do tamanho das áreas de UCs.

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Rodovia BR 101 Norte, Km 60 - Bairro Litorâneo, São Mateus - ES | CEP 29932-900